Nas Ruas

Qui, 20/09/2018 | Atualizado em: 20/09/2018 às 12h24


Nas Ruas

Renúncia: Dom Murilo é obrigado a entregar o cargo

Igor Andrade
A+ A-

A TARDE BA

Após três anos e oito meses fechada para reforma, as portas da Catedral Basílica de Salvador foram abertas para celebrar a primeira missa do templo após a restauração da Igreja.

O culto também marcou a celebração de 75 anos do arcebispo de Salvador e primaz do Brasil, Dom Murilo Krieger, que, por conta da idade, prescreve o Código de Direito Canônico, onde o bispo diocesano tem a obrigação de apresentar a renúncia do ofício ao Sumo Pontífice, o Papa.

Apesar da obrigação de pedir a renúncia, dom Murilo afirmou que segue feliz e realizando a vontade de Deus. "A minha vontade é fazer a vontade de Deus, enquanto estiver aqui, irei fazer com alegria. Se, por acaso, sair agora, também farei com alegria, pois o meu desejo é fazer a vontade de Deus", afirmou o bispo.

O bispo disse que assinou a carta de renúncia ontem, no mesmo dia da missa, porém, vai esperar a decisão do papa sobre a sua saída com a mesma dedicação e amor que mantém desde que assumiu a responsabilidade com a Arquidiocese. "Qualquer prognóstico que se fizer sobre quando a saída de fato acontecerá, será mera especulação. O processo de escolha de um novo bispo em Salvador é complicado, é um processo longo. Então, enquanto eu for arcebispo desta Arquidiocese, me dedicarei com amor às minhas responsabilidades, como tenho procurado fazer desde o dia de minha posse, em 25 de março de 2011", disse.

A escolha de um novo líder religioso para a cidade é um processo que pode demorar no mínimo, a metade de um ano.