Nas Ruas

Qua, 19/09/2018 | Atualizado em: 19/09/2018 às 10h48


Nas Ruas

Novo lar e família de verdade para crianças da capital

Roy Rogeres
A+ A-

A TARDE BA

Maria Eduarda, hoje com 7 anos, foi deixada na porta da casa da pedagoga Michelle Oliveira, 41, quando ainda era um bebê. Enquanto Júlia Souza, agora com 10 anos, tinha apenas 3 quando a assistente administrativa Saraí Souza, 52, se apaixonou à primeira vista por ela após visitar um abrigo infantil.

Na manhã de ontem (17), elas e outras 20 famílias partilharam da mesma emoção quando tiveram sentenças favoráveis nos processos de adoção, através de um mutirão realizado pela 1ª Vara da Infância e Juventude de Salvador, e puderam comemorar.

"Ela foi deixada na nossa porta ainda bebê, e ficamos com ela. Não sabíamos como proceder, mas houve um apego total, e hoje ela é tudo para nós. Estamos bastante emocionados. Ganhamos um presente de Deus e agora com a segurança de que nada pode tirá-la de nós", relatou Michelle Oliveira.

A mesma felicidade foi compartilhada por Saraí Souza. "Eu não tinha filhos, me cadastrei, entrei na fila de adoção, e aguardei até conhecê-la, foi amor à primeira vista e vale a pena todos os dias ter este amor do meu lado. Agora com o processo finalizado e totalmente tranquila, estamos muito felizes", comemorou emocionada.

O mutirão é realizado a cada dois ou três meses e visa desmistificar o processo da adoção.