Viver Bem

Seg, 17/09/2018 | Atualizado em: 17/09/2018 às 10h59


Viver Bem

Sistema de defesa em perigo

Nágila Santana
A+ A-

O Dia Mundial de Conscientização sobre Linfomas, celebrado em 15 de setembro, serve de alerta para a população com relação à importância do diagnóstico precoce, em função da doença ter se duplicado nos últimos 25 anos no Brasil.

Esse tipo de câncer se origina nos linfócitos, células do sistema imunológico responsáveis pela defesa do organismo. Segundo a hematologista Maria de Lourdes Chauffaille, como todo tipo de câncer, ele é desencadeado por alterações no comportamento da célula que lhe deu origem, neste caso, o linfócito. "Eles se dividem em dois grandes grupos, o linfoma não Hodgkin e o linfoma Hodgkin, decorrentes de diferentes mecanismos desencadeantes e, no último, da participação de outras células".

No diagnóstico, o exame mais importante é a biópsia da região afetada. Para isso, retira-se um gânglio aumentado, comprometido pelo processo. Nesse material são realizados diversos estudos que definem, com bastante precisão, o tipo e subtipo de linfoma. Esse procedimento é fundamental para um tratamento mais adequado. Em grande parte dos casos não é possível estabelecer uma causa para a ocorrência do linfoma. "Sabemos que situações caracterizadas por algum comprometimento na função do sistema imunológico podem aumentar o risco. Além disso, alguns tipos de infecção e exposição a agentes químicos e radioativos podem favorecer sua evolução", explica.

Segundo a médica, a queixa mais frequente relacionada ao linfoma é o surgimento de algum caroço, que corresponde ao aumento de tamanho de linfonodos. Além disso, a pessoa pode apresentar cansaço, perda de peso, febre não muito alta e sudorese noturna.

Em geral, os tratamentos consistem em quimioterapia, com ou sem radioterapia. O diagnóstico precoce, muitas vezes pode ser decisivo para aumentar as chances de cura. Manter o acompanhamento médico periódico e procurar ajuda, sempre que algum incômodo chamar a atenção é fundamental.