Plantão

Ter, 07/08/2018 | Atualizado em: 07/08/2018 às 05h00


Plantão

Fraudes Moqueca 'azedou' pra estelionatário

Euzeni Daltro
A+ A-

Os esforços do empresário Rodrigo Soares Gois, 41 anos, em construir uma imagem de credibilidade para a empresa Siriguejo Delivery não passava de um artifício usado por ele para aplicar golpes nos clientes.

Apenas em 2018, pelo menos dez pessoas, entre médicos e advogados, foram lesados por Rodrigo, que faturou cerca de R$ 100 mil com as fraudes. A empresa é conhecida por fornecer pratos com frutos do mar.

Investigações desenvolvidas pela Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos (DRFR) revelam que o golpe consistia em oferecer equipamentos eletrônicos, carros e até imóveis por um preço muito abaixo do mercado. Para justificar o preço baixo, Rodrigo dizia aos clientes que tinha ligação com pessoas que trabalhavam na Receita Federal e conseguia arrematar os objetos em leilões e com facilidade.

"Ele usava a empresa como instrumento de fachada e movimentava as redes sociais, inclusive, com fotos de artistas, apresentadores e jornalistas, para parecer uma empresa séria", afirmou a titular da DRFR, delegada Carlos Ramos, que é responsável pelas investigações. "Ele fazia as ofertas para aqueles clientes que ele percebia ter um poder aquisitivo alto e poderiam influenciar outras pessoas", completou ela.

Rodrigo foi preso na tarde de sábado (4), na Rua Esperança, no bairro da Santa Cruz, por policiais da DRFR e do Departamento de Crimes Contra o Patrimônio (DCCP). A prisão se deu em cumprimento a um mandado de prisão preventiva.