Plantão

Seg, 06/08/2018 | Atualizado em: 06/08/2018 às 05h00


Plantão

Vaquinha maldita Pedreiro é morto em briga por cerveja

Euzeni Daltro
A+ A-

Responsável pela construção de tantas casas em diversas cidades da Bahia, o pedreiro Anderson Souza Conceição, 36 anos, costumava falar com entusiamo sobre o sonho de construir uma casa para as duas filhas, de 13 e 14 anos. O entusiasmo, o sonho, o presente de Anderson para as filhas... Tudo acabou na madrugada de ontem quando o pedreiro foi assassinado a golpes de faca após uma discussão com um colega em uma festa na rua da Fonte, no IAPI.

O suspeito do assassinato é um vizinho, um colega com quem ele costumava andar e tomar cerveja. Inclusive, o suspeito foi visto por moradores comprando cerveja na rua Conde de Porto Alegre, a principal do bairro, cerca de seis horas após ter matado o companheiro de farras. O crime foi cometido por volta das 4h25.

"Eles brigaram. Depois a gente ficou sabendo que foi por causa de R$ 10, que Mino (Anderson) ficou de dar a ele para completar uma 'vaquinha' para comprar cerveja. Mino disse que ia receber o dinheiro de um trabalho e daria a ele", afirmou a telefonista Ivana Evelin Almeida Santos, 21, que viu o pedreiro ser assassinado. As mães de Anderson e Ivana são amigas de infância.

Anderson é natural do vilarejo de Mutá, na cidade de Jaguaripe, no Recôncavo. Ele estava há quatro meses, em Salvador, na casa da família de Ivana. Nesse período, além de atuar na reforma da casa da família, ele também fazia outros serviços.