Nas Ruas

Seg, 02/07/2018 | Atualizado em: 02/07/2018 às 05h00


Nas Ruas

Dois de julho Acesa a centelha da liberdade

HENRIQUE ALMEIDA* eFELIPE SANTANA*
A+ A-

Mesmo com momentos de chuva, centenas de pessoas se reuniram no Largo de Pirajá na tarde de ontem para acompanhar a cerimônia de chegada do fogo simbólico ao Panteão de Pirajá. O evento integra as comemorações do Dois de Julho, que marca a luta da independência do Brasil na Bahia, ocorrida há 195 anos.

A tocha saiu de Cachoeira, no Recôncavo, na manhã do último sábado e passou pelos municípios de Saubara, Santo Amaro da Purificação, São Francisco do Conde, Candeias e Simões Filho até, finalmente, chegar ao bairro de Pirajá, em Salvador.

Conduzida por soldados do Exército e por atletas baianos, a pira foi acesa com o fogo que chegou ao Panteão pelas mãos do judoca José Roberto Araújo dos Santos. Logo após, flores foram depositadas no túmulo do general francês Pedro Labatut, um dos nomes da luta contra os portugueses.

Antes, houve hasteamento das bandeiras do Brasil e da Bahia, ao som do hino nacional. O festejo ainda contou com apresentações da banda da Polícia Militar e da Banda Marcial de Pirajá, além da presença de autoridades politicas e das forças de segurança.

"Muitas pessoas ainda não entendem a importância simbólica da data e veem a comemoração como uma luta isolada da Bahia, mas que na verdade é uma parte fundamental da luta de independência do Brasil", diz o major Hegner, do Exército.

*Sob supervisão da jornalista Jane Fernandes