Nas Ruas

Sáb, 16/06/2018 | Atualizado em: 16/06/2018 às 05h00


Nas Ruas

Copa? Comércio busca sair do preju

Tânia Araújo
A+ A-

Quem anda pelo centro da cidade percebe: o clima de Copa ainda não 'pegou' totalmente. Apesar das bandeirolas verde e amarelo enfeitarem as ruas, os consumidores ainda não abriram o bolso.

O motivo? "Está todo mundo duro e sem esperança", disse Aristênio Santos, que vendia 'maiôs' e outras peças de roupa no Relógio de São Pedro. Na lida há uma semana, ele disse acreditar que "o clima só vai esquentar quando o Brasil ganhar o primeiro jogo. Isso 'se' ganhar".

A falta de esperança dominou os depoimentos dos entrevistados pela reportagem, mas Igor da Silva, morador de Sussuarana bancou a exceção. Com um ponto na Piedade há dois dias, pagou o custo das camisetas logo no primeiro dia. "Agora já estou no lucro", comemorou.

No lugar dos debates sobre futebol, o que se ouvia por toda a Avenida Sete eram reclamações sobre o atual governo e as greves que atingiram o país. A bronca é geral! "O Brasil não tem como andar pra frente se o governo não tomar providências. A seleção não tem como mudar o Brasil, isso é hipocrisia. Estamos vivendo um momento de desgoverno. A população precisa se mobilizar", reclamou o vendedor de gorros e camisetas Francisnei Bonfim.