Plantão

Qui, 07/06/2018 | Atualizado em: 07/06/2018 às 05h00


Plantão

Só no balaço Mortes assustam em condomínio

Euzeni Daltro
A+ A-

Moradores do residencial Caminho do Mar, no bairro Cetrel, em Camaçari, haviam acabado de velar o corpo de Jackson Souza dos Santos, 17 anos, conhecido como Anão, quando souberam do assassinato de Antônio Carlos Santos de Almeida, 17, o Carlinhos Pé de Bolo, no mesmo condomínio, na manhã da última segunda-feira (4).

Jackson foi morto durante uma ação de policiais da 59ª CIPM (Vila de Abrantes), no domingo (3), e Antônio foi executado por traficantes locais. Sob anonimato, moradores afirmaram ter relação entre as duas mortes.

Conforme os relatos, Antônio Carlos estava na casa de um colega no condomínio Caminho do Mar 2, quando foi pego pelos PMs (viatura 5922), na manhã de domingo.

"Os policiais colocaram Pé de Bolo na viatura e ficaram rodando com ele até ele mostrar onde era a casa de Anão. Depois que ele mostrou, os policiais deixaram ele na casa do colega e voltaram para matar Anão", afirmou um morador, sob anonimato.

Ao ser liberado pelos PMs, após mostrar onde Jackson morava, Antônio Carlos ainda comentou com alguns moradores que um dos policiais havia lhe dito que não iria matá-lo porque ele seria morto pelos parceiros do tráfico de drogas.

E assim aconteceu. Na manhã seguinte, ele foi assassinado com, pelo menos, oito tiros por traficantes do bairro. "Os caras mataram Pé de Bolo porque ele levou os policiais até a casa do outro adolescente. Os PMs fizeram ele sair por 'caguete'", disse o homem.