Qui, 07/06/2018 | Atualizado em: 07/06/2018 às 05h00

Inflação é maior para os mais pobres

Igor Andrade / A Tarde SP
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

A Fundação Getúlio Vargas (FGV) divulgou ontem o Índice de Preços ao Consumidor – Classe 1 (IPC-C1), que mede a variação de preços da cesta de compras para famílias com renda de até 2,5 salários mínimos. A alta de 0,6% em maio deste ano ficou acima do Índice de Preços ao Consumidor Brasil (IPC-BR), que mede a inflação para todas as faixas de renda. Ou seja, quanto menor a renda, maior a inflação. De acordo com a FGV, cinco das oito classes de despesa componentes do índice apresentaram acréscimo em suas taxas de variação. Destaque para a classe de Habitação, que apresentou a maior alta, de 0,23% para 1,02%. Também apresentaram elevações as classes de Transportes (0,64%), Alimentação (0,50%), Comunicação (-0,06%) e Vestuário (0,35%).