Qua, 06/06/2018 | Atualizado em: 06/06/2018 às 05h00

Reciclagem ainda é fraca na Bahia

Gabriel andrade*
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

Apesar de 95% dos baianos concordarem que o jeito certo de descartar resíduos é separando, 81% não selecionam os recicláveis, diz pesquisa do Ibope Inteligência. A importância da reciclagem, o alto consumo e descarte errado de plástico foram os temas escolhidos pela ONU para celebrar o Dia Mundial do Meio Ambiente.

Para o consultor de impacto social e desenvolvimento sustentável Otávio Leme, falta incentivo do poder público. "Se a pessoa separar e não existir coleta, acaba jogando no lixo comum", denuncia. É o caso da dona de casa Maria Souza, 57 anos, que separa, mas muitas vezes não sabe como descartá-lo. "É difícil achar um lugar para jogar o lixo e ter certeza de que será reciclado", lamenta. A pesquisa ainda apontou que 82% dos entrevistados sabem pouco ou nada sobre cooperativas de reciclagem.

* Sob a supervisão da editora Meire Oliveira