Qua, 06/06/2018 | Atualizado em: 06/06/2018 às 05h00

Corda bamba Leão em busca do equilíbrio para não cair

AMANDA SOUZA*
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

São tempos de 'bandeira vermelha' no Barradão. A conta pela falta de segurança no alinhamento da equipe tem vindo cada vez mais salgada a cada rodada do Campeonato Brasileiro.

Depois da goleada no jogo contra o Santos, o Vitória assumiu a posição da equipe com a defesa mais vazada da Série A – na competição e também na temporada.

No Brasileirão, o Leão já levou 20 gols. No ano, o time atingiu a marca de 54 gols sofridos em 38 jogos disputados.

O Vitória de 2018 é uma equipe de duas facetas: ao mesmo tempo que tem a defesa mais vazada do Brasileiro, é o segundo melhor ataque da competição. Para sair da zona da degola e do sufoco, a melhor opção é equilibrar os resultados e alinhar a atuação do time por inteiro, do ataque à defesa.

Contra a Chapecoense, hoje, a equipe terá a oportunidade de começar a testar esse alinhamento. Por força contratual, o goleiro Elias não pode atuar. No lugar dele, o jovem Ronaldo recebe a sua segunda chance de entrar como titular no profissional e, se repetir a primeira participação, sairá como um bom herói.

O primeiro jogo de Ronaldo foi a partida decisiva das quartas de final da Copa de Nordeste, no Barradão, contra o Sampaio Corrêa, que terminou em 0 a 0 – e com a desclassificação da equipe rubro-negra. Curiosamente, justo no jogo em que a defesa se entendeu, o ataque não funcionou.

Há algum tempo já se comenta que falta integração do elenco. Essa integração não diz respeito a forma como os atletas estão empenhados ou 'fechados' enquanto grupo, mas sim a maneira como, em campo, eles conseguem se entender.

Por esse fator, os componentes do setor defensivo tem sido cada vez mais questionados pela torcida, que cobra, desde o início da temporada, novas contratações especialmente para esse setor.

Para a partida contra a Chapecoense, a equipe rubro-negra não contará com, além do goleiro Elias – pertence ao alviverde –, os volantes Rodrigo Andrade e Zé Welison, que sentiu a coxa no treino antes do jogo com o Santos.

A Chape está logo atrás do Vitória em número de gols sofridos na Série A. São 18, dois a menos que o Leão. Com um ataque tão eficiente, o Vitória vai ter que fazer muito mais que gols. Vai precisar encontrar a fórmula do equilíbrio e encaixar a zaga para não levar nenhum.

* Sob a supervisão do editor Rafael Tiago Nunes