Sáb, 02/06/2018 | Atualizado em: 02/06/2018 às 05h00

Varie o cardápio com a 'rapidinha'

Victor Rosa*
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

victor.rosa@grupoatarde.com.b

Nem sempre o ditado "apressado come cru" está correto. No sexo, a velha e conhecida "rapidinha" pode ajudar muito a vida sexual de um casal, apimentando a relação e deixando as coisas mais emocionantes.

Segundo a sexóloga e coach em relacionamentos Virgínia Gaia, não é a duração em minutos que vai definir se uma transa foi ou não uma rapidinha, mas a situação que o 'encontro' ocorre e se é prazeroso para os envolvidos. "Geralmente, são poucas preliminares e a ida direto ao ponto. A emoção é justamente fazer alguma coisa rápida, ou porque é algo que emenda dois compromissos, ou que acontece em algum lugar que gera adrenalina", explica.

Esse tipo de transa pode deixar o sexo do casal mais variado, tornando a rapidinha uma ótima opção para incrementar o 'cardápio' num relacionamento. "A gente recomenda que o casal procure estabelecer uma vida sexual variada, que vão de transas mais longas até algumas rapidinhas".

Sem preconceito, a rapidinha' é opção para casais heterossexuais e homoafetivos que querem se divertir e ter prazer. Confira nos boxes alguns cuidados para não tornar a transa ruim e dicas de como deixar tudo muito mais gostoso.

* Sob a supervisão da editora Ellen Alaver