Ter, 29/05/2018 | Atualizado em: 29/05/2018 às 05h00

Tudo junto e bem misturado

Victor Rosa*
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

Pesquisa divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostrou que mulheres trabalham, em média, até 3 horas a mais (acumulando trabalhos remunerados e afazeres domésticos) para ganhar cerca de 76.5% do salário dos homens.

Segundo a consultora de gestão empresarial Manuela Vidal, as mulheres vêm conquistando cada vez mais espaço e voz no mercado de trabalho, mas o crescimento ainda é lento. "Conquistamos vários direitos, mas o caminho a percorrer é longo", opina.

Para ela, de fato existem diferenças entre homens e mulheres quando se fala em força, física, por exemplo. "O problema surge quando a mulher tem a capacidade de realizar uma tarefa e é impedida apenas por ser do sexo feminino", analisa.

A principal mudança que deve ocorrer dentro da empresa para mudar ese cenário está no pensamento daas lideranças e recrutadores. "É fundamental ter um bom programa de Recursos Humanos. Se o responsável por selecionar os profissionais for preconceituoso e achar mulheres inferiores aos homens nada vai modificar", comenta.

* Sob a supervisão da editora Ellen Alaver