Ter, 29/05/2018 | Atualizado em: 29/05/2018 às 05h00

Petrobras Maia não tem acertado uma

Das agências
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

O pré-candidato para a presidência e presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), pagou o maior mico! Primeiro foi o cálculo feito por ele para acabar com a greve dos caminhoneiros que abala todo o Brasil. Maia conseguiu a façanha de afirmar que o cálculo do custo de zerar o PIS-Cofins do diesel até o fim deste ano não custará apenas R$ 3,5 bilhões, como tinha sido estimado, e, sim, cerca de R$ 14 bilhões, segundo a Receita Federal.

Com esse erro, ele foi criticado fortemente pelo governo. O ministro Carlos Marun (MDB-RS), da Secretaria de Governo, chegou a afirmar na semana passada que o deputado teria de apontar de onde sairiam os recursos para compensar as perdas.

E no domingo, ele publicou em suas redes sociais "acredito, desde o início, que a melhor saída para o impasse criado entre os grevistas e o governo é reduzir ou zerar o PIS/Cofins cobrado sobre o diesel". O post foi apagado em questão de minutos.