Ter, 22/05/2018 | Atualizado em: 22/05/2018 às 05h00

Titularidade e muita alegria

Amanda Souza*
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

amanda.jesus@jornalmasssa.com.br

A sorte de estreante passou pelo Barradão no último domingo. O recém-chegado goleiro Elias atuou bem na vitória do Leão por 2 a 1 conta o Ceará e agradou a torcida rubro-negra, que cobrava por uma mudança imediata na posição, antes ocupada pelo inseguro Caíque.

Vindo da Chapecoense por empréstimo, Elias Curzel tem 22 anos e chegou no Vitória para resolver o problema no gol. Formado nas categorias de base do Juventude, o arqueiro foi transferido para a Chape por indicação de Vágner Mancini, no ano de 2017.

Elias não fez muitas partidas nesse último ano, mas garante estar preparado para suprir a carência do time. "Nesse tempo que fiquei sem jogar, estive trabalhando forte. Todo mundo sabe que quem não joga sempre treina mais do que os que jogam. Então, eu sempre me dediquei nos treinos pra que, quando chegasse a oportunidade de jogar, eu estivesse preparado".

A partida de estreia teve um desafio a mais para o goleiro por uma questão climática. "É complicado. Em Chapecó faz 7, 8 gruas. E aqui cheguei com 28 graus e já peguei um jogo 11 horas, um horário difícil pra jogar em Salvador. Mas estou me adaptando", garantiu. Apesar do calor, a autoavaliação do desempenho na estreia foi positiva. "É sempre bom começar com o pé direito, com uma vitória. É importante para dar sequência e ganhar mais confiança".

Com as falhas consecutivas de Caíque, Elias chegou pra assumir a posição. Mas a responsabilidade não foi motivo de rivalidade entre os dois. "O Caíque é um excelente goleiro, treina pra caramba, como todo mundo aqui", ressaltou e completou: "A gente conversa, se ajuda. Uma fase ruim ou uma fase boa, todo jogador vai passar. Por isso que a gente tem um grupo fechado e unido pra abraçar essas causas".

Há pouco tempo em Salvador, o goleiro ainda não teve a chance de conhecer a cidade, mas já pôde sentir o calor do povo baiano. "Fui ao mercado e já conversei com alguns torcedores que me reconheceram, bati um papo muito bacana. É legal saber o que eles pensam".

Elias vai ter um tempo a mais para se preparar para seu próximo jogo, que será contra o Botafogo, no próximo domingo, pelo Brasileirão. Ele não vai enfrentar o Sampaio Corrêa na quinta, pela Copa do Nordeste, por que não foi inscrito na competição até o prazo final. Ainda assim, o goleiro garante que vai ficar no torcida por um resultado positivo do Leão.

* Sob a supervisão do editor Rafael Tiago Nunes