Ter, 15/05/2018 | Atualizado em: 15/05/2018 às 05h01

'Sereanos' unidos após desabamento

Da redação
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

Os moradores do Alto da Sereia e Pedra da Sereia, Rio Vermelho, estão em alerta desde o último desabamento ocorrido na noite do dia 7 de maio. Mesmo sem feridos ou mortos, a interdição de sete casas no entorno foi motivo suficiente para que 62 moradores da região fizessem uma reunião durante o fim de semana. Entre os debates, os moradores se posicionaram e decidiram não aceitar a demolição das casas condenadas sema apresentação de outros laudos além do da Codesal. "Não apoiaremos nenhuma demolição sem laudos técnicos de outros órgãos", diz a ata da reunião. No ensejo, foram mostrados ofícios enviados pelos moradores à Conder em 2011, solicitando fiscalização da área devido a possibilidade de desabamentos causados pelas intensas chuvas da época. Os "sereanos" planejam procurar outros órgãos e amanhã, o grupo vai à Defensoria Pública da União (DPU).