Sáb, 12/05/2018 | Atualizado em: 12/05/2018 às 05h00

Bicicletário do metrô ainda é pouco usado

Jefferson Domingos
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

Com o transporte de bicicletas nos vagões no metrô ainda limitado aos sábados, domingos e feriados, o sistema bicicletário ainda se mostra a melhor opção para quem usa os dois veículos diariamente. O serviço permite que o passageiro guarde a bike na estação de forma segura enquanto viaja de metrô.

Ainda com procura baixa, o sistema, em geral, agrada. Mas existe uma reclamação em comum: o tempo de espera longo para a retirada das bicicletas. Isso porque não há um funcionário fixo da CCR nos bicicletários.

"Já aconteceu de perder dois ou três trens porque eles pirraçam muito", reclamou o sinalizador de aviação Luiz Carlos, que ainda reivindicou o transporte das bicicletas nos trens em dias úteis. "Deveria ter um vagão a mais nos trens, exclusivos para bicicletas".

Na estação Pirajá, o MASSA! flagrou um jovem que prefere prender a bicicleta em uma estrutura de metal do lado de fora do bicicletário. "Uma vez tinha um compromisso importante, mas me atrasei tentando usar o bicicletário", justificou o estudante Samuel Paiva, 21 anos.