Plantão

Sex, 11/05/2018 | Atualizado em: 11/05/2018 às 05h00


Plantão

Noite de tiro PM mata e alega legítima defesa

A+ A-

Dois inquéritos foram instaurados para apurar o fato de o soldado da Polícia Militar Carlos Fagner Ventura Oliveira ter matado um homem na noite de quarta-feira (9), na Rua Arthur de Azevêdo Machado, no Costa Azul.

Um inquérito policial foi instaurado, no Departamento de Homicídios (DHPP), e um Inquérito Policial Militar foi instaurado na Corregedoria da PM.

O homem, que não havia sido identificado até a tarde de ontem, foi baleado na cabeça. Em depoimento no DHPP, o PM afirmou ter agido em legítima defesa, uma vez que a vítima tentou assaltá-lo, conforme informações da assessoria de imprensa da Polícia Civil. O soldado disse ainda que estava de folga e sem farda no momento do crime.

O homem foi levado pelo soldado e por uma guarnição da Rondesp Atlântico (2.1104) ao Hospital Geral do Estado (HGE), onde morreu. Na ocorrência registrada no posto da Polícia Civil do hospital, consta que ele aparentava ter cerca de 35 anos, foi baleado na cabeça e portava uma pistola 380 com capacidade para 15 projéteis. A arma, cuja numeração foi raspada, estava carregada com 12 projéteis, de acordo com o registro.

Após prestar socorro à vítima, o soldado se apresentou espontaneamente na Corregedoria da PM e depois no DHPP, onde apresentou a arma usada por ele, uma pistola .40, e a arma que teria sido usada pela vítima, segundo informações da Polícia Civil. Ele foi liberado após prestar depoimento.