Ter, 24/04/2018 | Atualizado em: 24/04/2018 às 05h00

Queimando uma carninha

Amanda Souza*
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

amanda.jesus@jornalmasssa.com.br

Hoje é a data escolhida para comemorar o Dia Nacional do Churrasco. Mas antes de comprar o carvão é preciso saber qual a maneira correta de preparar esse banquete.

Um churrasco costuma ser um evento bem informal, no quintal de casa, ao som de um bom samba ou arrocha e rodeado de amigos e família. Apesar da simplicidade, é importante estar atento aos detalhes necessários para fazer agradar o paladar de todos.

Antônio Gonzaga é churrasqueiro há 15 anos e adverte sobre as escolha dos produtos. "Diversifique ao máximo os tipos de carnes e cortes, acompanhamentos e temperos. Procure açougues já conhecidos e, para os temperos, escolha produtos frescos", recomenda.

Além dos ingredientes, o fogo também é parte importante nesse processo. Antônio explica que a churrasqueira deve ser acesa uma hora antes de começar a assar as carnes. "Dá até pra aproveitar as cinzas de um churrasco passado, é só colocar o carvão novo por cima", diz.

Sobre a distância à qual a carne deve ficar, o churrasqueiro dá a dica: "Se você conseguir ficar com a mão no lugar onde ficaria a carne por sete segundos suportando a temperatura, a altura está ideal."

Os acompanhamentos são variados e dependem de cada paladar. Feijão tropeiro, arroz branco e vinagrete são os mais tradicionais, mas não são a regra. Você pode inovar seguindo o seu próprio gosto.

No fim das contas, o melhor churrasco é aquele em que estamos reunidos com pessoas do nosso agrado, num ambiente legal, som bacana e comida bem preparada!

* Sob a supervisão da editora Ellen Alaver