Seg, 16/04/2018 | Atualizado em: 16/04/2018 às 05h00

Gravidez: nove meses de boca saudável

camila de jesus
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

camila.jesus@jornamassa.com.br

A gravidez é um período em que a mulher está suscetível a mudanças externas e internas. As alterações que ocorrem afetam o organismo como um todo, incluindo a saúde bucal.

Segundo o dentista Eduardo Oliva, do Instituto Prime, os problemas que geralmente surgem durante a gestação estão ligados às oscilações hormonais. "Gengivite, salivação e erosão do esmalte dental são os mais comuns", cita.

O especialista explica que a gengivite ocorre devido ao aumento da progesterona e estrógenos que elevam o fluxo de sangue da gengiva, facilitando a inflamação.

"A salivação ocorre também por causa destes hormônios. Já a erosão do esmalte acontece, principalmente, por causa das náuseas e vômitos, que deixam a boca mais ácida e os dentes mais sensíveis", completa.

Dr. Eduardo lembra que antes de iniciar qualquer tratamento dental, a paciente deve informar ao dentista que está grávida. "No início da gestação, devem-se evitar radiografias tradicionais, anestésicos dentais, medicação contra dor e antibióticos", recomenda.

Além disso, o dentista indica evitar o uso da própria cadeira do consultório odontológico, especialmente no final da gravidez. "A cadeira é bem desconfortável, e pode ser evitada se não for uma emergência", avalia.

Para amenizar os problemas o especialista dá algumas dicas (confira no box ao lado).

* Sob a supervisão da editora Ellen Alaver