Edição do dia
Ter, 10/04/2018 | Atualizado em: 10/04/2018 às 05h00

Atiraram em rivais e seguem à solta

ANDREZZA MOURA
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

Até ontem à tarde, a Polícia Civil ainda tentava identificar os suspeitos de atirar nos torcedores do Bahia e do Vitória, na manhã do domingo (8), no Tororó e em Paripe, horas antes do jogo entre as duas equipes pela final do Campeonato Baiano. Os delegados Maria Dail Sá, da 1ª DT (Barris), e Nilton Borba, da 5ª DT (Periperi), investigam se os crimes têm ligação. Eles apuram também se um suposto ataque, na noite do sábado, à sede do 20º comando da Torcida Uniformizada Imbatíveis, do Vitória, na Suburbana, desencadeou as ações. Daniel Sena Duarte, 20 anos, Antônio Marcos Santos Barbosa, 49, e outro homem não identificado foram baleados em frente à sede da Bamor, na Travessa Florêncio dos Passos, por volta das 9h. Já Tiego dos Santos Silva, 24, torcedor do Vitória, foi baleado nas costas e nas nádegas, às 11h30, na Rua Venezuela, Paripe. A reportagem tentou falar com a diretoria das duas torcidas, mas não obteve êxito.