Ter, 20/02/2018 | Atualizado em: 20/02/2018 às 05h16

Samba Junino é coisa de Salvador!

ROBERTO AGUIAR*
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

Ritmo acelerado e corrido, feito com o toque do timbal, tamborim e surdo. O samba junino, expressão cultural lúdica e artística, ainda pouco conhecida pelos baianos, corria o risco de desaparecer.

Desde o dia 8, o ritmo é considerada Patrimônio Cultural de Salvador, conforme determina o Decreto 29.489/2018, publicado no Diário Oficial do Município. Para preservar essa expressão cultural genuinamente soteropolitana, a Fundação Gregório de Mattos (FGM) lança hoje, às 17h, no Espaço Cultural da Barroquinha, o edital Prêmio Samba Junino.

"Resolvemos lançar o edital de apoio para a preservação e a dinamização do samba junino, além das suas formas de produção e reprodução, através da realização de ensaios, festivais, concursos, apresentações e arrastões no período junino", afirma Fernando Guerreiro, presidente da FGM.

Para Jorjão Bafafé, representante da Federação de Samba Duro Junino do Estado da Bahia, o edital é de grande valia e chega na hora certa. "Vejo como um suporte para manutenção e valorização do samba junino. É um ponto positivo a favor da nossa cultura. Essa é um reivindicação antiga que conseguimos alcançar", disse.

O edital vai contemplar seis propostas elaboradas por grupos, federações, entidades e coletivos que incentivem o fortalecimento, a manutenção e dinamização do samba junino no município de Salvador. Cada projeto selecionado receberá um aporte financeiro no valor de R$ 30 mil.

* Sob a supervisão da editora Márcia Moreira