Sex, 09/02/2018 | Atualizado em: 09/02/2018 às 05h00

No buzu Militar é assassinado ao enfrentar ladrões

ANDREZZA MOURA
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

O sargento da Aeronáutica Ricardo Cerqueira Dias, 43, anos, foi morto na noite da quarta-feira (7), na Avenida Bonocô, após reagir a um roubo dentro de um ônibus, que fazia a linha Lapa/ Patamares. Ele levou um tiro no queixo e morreu antes de chegar ao Hospital Geral do Estado (HGE).

Ricardo tinha acabado de sair da Arena Fonte Nova, onde assistiu ao jogo Bahia x Vitória da Conquista, e seguia para casa, em Itapuã, com a esposa, Nadja Bacelar de Oliveira. A mulher presenciou toda a ação.

"Ela [Nadja] disse que, quando passou da Le Biscuit [loja], destino Iguatemi, os caras anunciaram o assalto. Aí ele reagiu, brigou com dois caras e um terceiro atirou. Foi um tiro só, pegou no queixo e subiu para a cabeça", contou um policial civil, sob anonimato. Segundo ele, o sargento estava desarmado e relutou para entregar o celular. Os criminosos fugiram em direção ao bairro de Cosme de Farias, com o aparelho.

"Ele ter reagido, foi uma grande surpresa. Ele era uma pessoa calma, tranquila, jamais poderíamos imaginar isso", lamentou o coronel José Henrique Kaipper, durante o sepultamento do militar, ontem à tarde, no Cemitério Campo Santo, na Federação.

Ricardo ingressou na Aeronáutica em 1993 e, atualmente, trabalhava no departamento de pessoal, na Base Aérea/ Aeroporto. "Ele era baiano, mas serviu em outros Estados. Retornou a Salvador em 2008", lembrou Kaipper.