Qua, 07/02/2018 | Atualizado em: 07/02/2018 às 05h01

Barra Moradores e turistas não querem o 'muro do xixi'

Henrique Almeida* e Nicolas Melo*
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

O Carnaval vem aí e os moradores da Barratem reclamado muitodos banheiros químicos que foram montados junto a balaustrada que separa o calçadão da praia. Também foram instalados alguns próximo ao Hospital Espanhol e outros à altura do Porto da Barra, além dos instalados na rampa de acesso à faixa de areia da praia.

Segundo eles, os banheiros da balaustrada trazem um aspecto ruim para o local, pois comprometem a vista para o mar e trazem mau cheiro. "Não é a primeira vez que eles fizeram isso. No ano passado, foi a mesma coisa. Pode escorrer dejetos para a areia e para o mar. Mesmo que usem produtos químicos biodegradáveis, de certa forma acaba poluindo o oceano. Vale ressaltar que ali é uma área de banho", ponderou o presidente da Associação de Moradores da Barra (Amabarra), Watson Campos.

Para o turista porto-alegrense David Dljuvit, 29, as estruturas montadas no local não impedem em nada a folia e as impressões que ele têm da cidade.

"Não há problema algum, é bom que a gente não precisa ficar esperando na fila. Quanto mais banheiro melhor", ressalta. Por outro lado, o morador Fábio Fernandes, 38, lembra que durante e após o carnaval o Farol da Barra fica com mau cheiro. "Agora (ontem) está tranquilo. Mas quando começar a festa vai ser horrível", critica.

Quem também não economizou criticas à ação da prefeitura foi o morador Josué Silveira, 66. "Os turistas vêm e têm que ficar passando pelos banheiros para conseguir foto. Antes, esses banheiros não ficavam aqui", afirma.

A Tarde tentou entrou em contato com a assessoria da Limpurb, mas até o final desta edição não obteve retorno.

*Sob supervisão da jornalista Meire Oliveira