Edição do dia
Qua, 07/02/2018 | Atualizado em: 07/02/2018 às 05h00

Geddel 'Me jogaram no vale dos leprosos'

Juliana Dias e redação
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

Em depoimento à Justiça Federal ontem, em Brasília, o ex-ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima (PMDB), declarou ter sido jogado em um "vale dos leprosos" por "amigos de longa data".

Geddel é acusado de tentar obstruir as negociações do acordo de delação premiada do corretor Lúcio Funaro com a Procuradoria-Geral da República.

A sentença contra o ex-ministro poderia ter sido dada logo após o depoimento de Geddel e do ministro Eliseu Padilha, ouvido como testemunha de defesa, mas o Ministério Público Federal (MPF) pediu prazo de cinco dias para fazer as alegações finais por escrito.

De acordo com o procurador Anselmo Lopes, é necessário verificar as contradições em relação à quantidade de ligações que foram feitas de Geddel à esposa de Lúcio Funaro, Raquel Pita.

Em seu primeiro depoimento, em novembro, Geddel havia dito que teria feito 17 ligações a Raquel. Agora,  mudou parcialmente sua versão sobre as ligações e disse que, dessas 17 ligações, apenas uma foi "efetivamente" feita por ele.

As outras, alegou o ex-ministro, teriam sido realizadas por uma falha de seu telefone celular.