Ter, 06/02/2018 | Atualizado em: 06/02/2018 às 05h01

Pra marido, esposa não matou o filho

ANDREZZA MOURA
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

"Ela era uma boa mãe, uma ótima esposa. Cuidava muito bem de mim e do meu filho. Não acredito que ela tenha matado ele, as pessoas falam demais", desabafou Damião da Silva, 53 anos, ao falar que não acredita que a esposa, a dona de casa Grazielle de Santana da Silva, 28, tenha matado o filho do casal, Davi de Santana da Silva, 4, antes de cometer suicídio, na quinta (1). Ela era esquizofrênica.

O corpo do garoto foi encontrado na manhã do domingo (4), submerso em um charco, às margens do Rio Capivara, em Arembepe, em Camaçari (Região Metropolitana), cinco dias após ter sido levado de casa pela mãe. Eles moravam no Loteamento Sangradouro, a um quilômetro da área onde o corpo de Davi foi localizado.

" Para mim, ela não morreu, eles não morreram. Para mim, estão na casa da mãe dela. Eu a amei e a amo demais", declarou Damião.

Segundo ele, apesar de Grazielle ter desenvolvido transtorno mental aos 19 anos, ela era uma pessoa tranquila, amável e cuidava muito bem do filho.