Edição do dia
Ter, 06/02/2018 | Atualizado em: 06/02/2018 às 05h01

Insistência PTB não vai abrir mão de Cristiane Brasil

Estadão Conteúdo
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

Apesar de alguns auxiliares do presidente Michel Temer admitirem que o ideal é que o PTB indique um novo nome no lugar da deputada Cristiane Brasil (PTB-TJ) para a vaga de ministra do Trabalho, o ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, afirmou ontem, 5, que o governo não fará nenhum pedido ao partido. "Não vamos solicitar que o PTB faça qualquer alteração", disse o ministro em coletiva de imprensa. Além de a posse da filha do deputado Roberto Jefferson estar barrada pela Justiça há um mês, no fim de semana surgiram novas acusações contra Cristiane que ampliaram o desgaste em torno de sua indicação.

Conforme revelou o jornal O Estado de S. Paulo no último sábado, Cristiane Brasil é alvo de um inquérito que apura suspeitas de tráfico de drogas e associação para o tráfico durante a campanha eleitoral de 2010. A investigação foi enviada na última sexta-feira, 2, à Procuradoria-Geral da República (PGR), em Brasília, porque Cristiane possui foro privilegiado.

Segundo o ministro, o governo "não tem o direito" de desistir da prerrogativa privativa do presidente da República que é nomear ministros. "Estamos numa luta maior que é pelo respeito à Constituição. Não temos o direito de desistir dela", comentou.