Sáb, 03/02/2018 | Atualizado em: 03/02/2018 às 05h00

Brutal Manicure morre após estupro e espancamento

ANDREZZA MOURA
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

Policiais civis da 13ª Delegacia (Cajazeiras) tentam identificar e prender os dois homens suspeitos de estuprar e espancar a manicure Lucinete Fiúza dos Santos, 25 anos, na noite do último sábado (27). Ela não resistiu aos ferimentos e morreu na madrugada da quinta-feira (1º), no Hospital do Subúrbio, para onde foi levada já em coma.

Nete, como era carinhosamente chamada, participava de uma festa na Rua do Óleo, em Cajazeira 6, quando decidiu sair de carro com os suspeitos. Ela foi abandonada na porta do Hospital Eládio Lasserre, em Cajazeira 2, na madrugada do domingo, desacordada e com várias escoriações pelo corpo.

"Ela estava com o marido e outros familiares em uma festa no Bar de Marivaldo. Se desentendeu com o marido por causa de ciúmes e saiu com os caras em uma Saveiro prata. Um carro com as mesmas características foi visto deixando ela no Eládio Lasserre. Ela teve morte cerebral", contou Washington Costa, coordenador do Serviço de Investigação (SI) da 13ª DT.

Segundo ele, na Rua do Óleo, local da festa, funciona um ponto de tráfico de drogas. "Acredito que ela conhecia os caras. Estamos investigando se eles são traficantes de drogas de lá do bairro", revelou o investigador.