Edição do dia
Sáb, 03/02/2018 | Atualizado em: 03/02/2018 às 05h00

Alegria e camisinha no bolso!

amanda souza*
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

A chegada do Carnaval é esperada por muitos não só pela folia, mas também pela 'pegação'. A ideia de encontrar um crush no meio da farra pode ser interessante, desde que a sua saúde seja tratada como prioridade. Afinal, a ideia é ter boas lembranças e não doenças como Aids, sífilis ou hepatite, doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) com muitos casos de contágio durante o período.

Segundo a infectologista Naihma Fortuna, "basta estar vivo e sexualmente ativo para adquirir qualquer uma dessas doenças". Jovens adultos, entre 18 e 25 anos, no entanto, estão mais vulneráveis. "Isso porque estão na faixa que pratica mais sexo e por serem mais propensos a ter múltiplos parceiros", explica.

Para evitar o contágio, o uso da camisinha é fundamental. "Em caso de contato sexual desprotegido, o indicado é buscar um serviço de saúde o mais rápido possível", orienta a infectologista. Além de curtir a folia, é importante pensar nas consequências. Por isso, previna-se! Não saia de casa sem a camisinha no bolso.

* Sob a supervisão da editora Ellen Alaver