Edição do dia
Qui, 01/02/2018 | Atualizado em: 01/02/2018 às 05h00

Coroado Nem bafafá impede início do novo reinado de Momo

Roseli Servilha*
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

Em meio à polêmica que quase inviabilizou a realização do concurso, a Federação das Entidades Carnavalescas escolheu ontem à noite o novo Rei Momo do Carnaval de Salvador.

O professor André Luis Almeida, 41 anos, morador do IAPI, conhecido como Dallas Lewesthayn, foi escolhido o Rei Momo 2018, com 84 pontos.

As polêmicas começaram antes mesmo de ontem. Isso porque a Federação disse que não realizaria o tradicional evento este ano por falta de tempo e que manteria o Rei Momo 2017, Alan Nery, no 'trono'. Contudo, os demais candidatos protestaram e buscaram o Ministério Público.

A confusão de ontem começou logo às 18h30, após concorrentes chegarem a ameaçar pedir o cancelamento do concurso, alegando atraso de Alan , que chegou por volta das 19h. A eleição foi temporariamente paralisada e o presidente da Federação, Jairo Mata, se reuniu com os competidores. "Tudo começou após um dos concorrentes pegar o microfone e decretar que se o Alan participasse o concurso seria cancelado. Foi uma atitude precipitada e que gerou todo esse problema", pontuou Jairo.

O candidato, no entanto, alegou que não sabia que teria que chegar antes. "Nunca ouvi falar que tinha essa regra no regulamento, cheguei dentro do horário limite que me foi passado", contestou.

* Sob a supervisão do jornalista Luiz Lasserre