Edição do dia
Qui, 25/01/2018 | Atualizado em: 25/01/2018 às 05h00

Perdeu, pai! Lula é condenado e tem a pena aumentada

Das Agências
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

Por unanimidade, os três desembargadores da 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), em Porto Alegre, condenaram, ontem, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) a 12 anos de prisão pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro no chamado caso do triplex do Guarujá. A pena imposta ao ex-presidente foi maior do que a dosada pelo juiz Sergio Moro na primeira instância, de nove anos e seis meses de prisão.  Endossaram a sentença contra o petista o revisor Leandro Paulsen, o relator João Pedro Gebran e o juiz federal Victor Laus.

A condenação, porém, não significa que Lula será preso imediatamente. Seus advogados poderão entrar com embargos de declaração, recursos que servem para esclarecer detalhes do julgamento. Assim, ele dependerá do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e do Supremo Tribunal Federal (STF) para tentar reverter a ordem de prisão e a condenação criminal. Os dois tribunais não têm prazo para analisar os pedidos. A defesa do ex-presidente tem até dois dias para protocolar recursos no próprio TRF-4. Com a decisão, o petista, líder em todas as pesquisas de intenção de voto, cai na Lei da Ficha Limpa e pode ser impedido de disputar a eleição presidencial, marcada para o dia 7 de outubro. Caso a condenação seja suspensa liminarmente, Lula poderá continuar em liberdade até que os outros recursos sejam julgados.