Edição do dia
Qua, 10/01/2018 | Atualizado em: 10/01/2018 às 05h01

Estupro contra menina é apurado

ANDREZZA MOURA
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

A delegada Diana Lima, titular em exercício da Delegacia de Repressão a Crimes contra a Criança e o Adolescente (Derca), disse que ainda é prematura afirmar que o vigilante Alexsandro Almeida, 38 anos, tenha estuprado a sobrinha, uma menina de 4 anos, na terça da semana passada (2), no Engenho Velho da Federação. Ele foi acusado pela mãe da criança.

A menina foi levada ao Hospital Geral do Estado, na terça-feira, após reclamar de dor na genitália. Ela foi transferida para o Hospital Roberto Santos e, até ontem pela manhã, seguia internada.

"Ainda não sabemos nem se a menina foi estuprada, só o laudo [do Departamento de Polícia Técnica (DPT)] poderá confirmar o fato. Precisamos ter cautela para não incriminarmos um inocente. Ainda vamos ouvir a criança e a mãe. Ele [Alexsandro], o pai da menina, um tio e uma tia já foram ouvidos", contou a delegada.

Ontem de manhã, Alexsandro, o pai da menina, o ajudante prático de pedreiro Wellington Pereira, 41, e o irmão dele, o também ajudante prático de pedreiro Paulo Pereira, 38, estiveram na 7ª Delegacia (Rio Vermelho) para registrar ocorrência por calúnia e difamação contra a mãe da criança.

Eles foram ouvidos pelo delegado Alex Chehade, titular em exercício da unidade.