Edição do dia
Ter, 09/01/2018 | Atualizado em: 09/01/2018 às 05h00

Obra inacabada afeta pedestres e ciclistas

Felipe Santana
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

O local que anteriormente estampava uma das mais belas paisagens da Orla de Salvador hoje fica encoberto por tapumes em um trecho entre o Instituto Social da Bahia (Isba) e a Pedra da Sereia, no bairro de Ondina.

Como de rotina, ciclistas, moradores e comerciantes locais se aventuram ao andar próximos aos tapumes e pelo canteiro da pista. Muitas vezes, eles chegam a dividir a pista com os veículos.

O trecho cercado por tapumes de aço faz parte das obras de requalificação da Orla de Ondina, que estava prevista para iniciar em agosto do ano passado. O projeto desenvolvido pela Fundação Mário Leal Ferreira (FMLF), órgão vinculado à Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Urbanismo, conta com ciclovia e aumento da acessibilidade dos pedestres. Cerca de seis meses depois, o cenário é de uma obra que ainda não foi iniciada, trazendo prejuízos para as pessoas que precisam utili zar o trecho diariamente.

"É a primeira vez que estamos passando por aqui. Quando observamos os tapumes, tivemos que mudar o roteiro da corrida e atravessar a pista. A situação desanima, pois esperava uma corrida que fosse possível, aproveitar a paisagem com segurança, mas não encontramos nada do que planejamos", diz o estudante Lucas Rocha, ao praticar atividade física no local.

*sob supervisão da jornalista Hilcélia Falcão