Edição do dia
Ter, 09/01/2018 | Atualizado em: 09/01/2018 às 05h00

Volta ao local da infância num caixão

Alexandre Santos
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

Foi enterrado na manhã de ontem o corpo de José Henrique Pereira Alves, motorista do aplicativo Uber, assassinado a tiros na noite do último sábado (6), no bairro de Ilha Amarela, no subúrbio ferroviário.

O sepultamento foi realizado no Cemitério Jardim da Saudade, em Senhor do Bonfim (a 385 km de Salvador), onde a vítima morava com os pais até retornar à cidade natal para trabalhar, há cerca de dois anos.

Segundo a diarista Magali de Castro, 39, sogra do rapaz, tanto a família do genro quanto a dela estão arrasadas diante da perda. "Está todo mundo sem chão", relatou. Na ocasião do crime, o motorista conduzia duas mulheres.

À polícia, elas contaram que ele parecia perdido. Ao chegar na Rua Vila Pompeia, conforme a versão das duas, um homem armado se aproximou e anunciou o assalto. Nesse momento, o motorista teria arrastado o carro na tentativa de fugir do local. Alvejado quatro vezes, ele foi socorrido para o Hospital do Subúrbio, mas não resistiu.

A Delegacia de Furtos e Roubos (DFRV) investiga o caso como latrocínio [roubo com resultado morte].