Edição do dia
Sáb, 06/01/2018 | Atualizado em: 06/01/2018 às 05h00

Crueldade demais pra matar jovem

ANDREZZA MOURA
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

"Estava no trabalho, quando recebi esse vídeo aqui. Antes, algumas pessoas me ligaram perguntando por ele, achei que estava na casa da mãe, em Sussuarana. Mas já estava morto", contou um vigilante, sob anonimato, enquanto mostrava, no celular, uma gravação na qual o filho, o vendedor ambulante Rafael Jorge Leal Oliveira, 19 anos, é brutalmente espancado e queimado vivo.

Ele recebeu o vídeo via WhatsApp, ontem à tarde, horas após o corpo do jovem ser localizado em um matagal de difícil acesso, na Rua Pergentino Pimentel, em Rio Sena, Subúrbio Ferroviário, parcialmente carbonizado.

Testemunhas relataram à polícia que o rapaz foi raptado, na tarde da quinta-feira, na Rua Direta do Cruzeiro, no mesmo bairro, por um grupo de homens que estava em um carro de dados não anotados. Rafael estava a poucos metros de casa, quando foi surpreendido pelos criminosos.

Segundo o pai dele, o crime pode ter sido motivado por causa de uma rixa entre moradores das duas ruas. Ele não explicou por qual motivo existe a desavença entre as localidades.

"Quando era jovem, andava isso tudo aqui. Agora, a gente não pode mais. Quem mora em uma rua, não pode ir na outra", lamentou ele, ao lembrar o passado.