Viver Bem

Qua, 03/01/2018 | Atualizado em: 03/01/2018 às 10h00


Viver Bem

Se segure, que o filho não é seu!

Camila de Jesus*
A+ A-

Birras, aborrecimentos e gritos são situações enfrentadas pelos pais com os próprios filhos, mas imagine ter de lidar com a cria alheia. A tarefa não é fácil, mas é possível.

Segundo a psicóloga Sarah Lopez, do Hapvida, o diálogo é a melhor forma de as crianças compreenderem quem é o responsável por ela naquele momento. "Ao reclamar, use um tom de voz enérgico. Isso fará com que ela entenda quem domina a situação. Manter a firmeza é preciso, mas sem agressões", alerta.

A especialista orienta os responsáveis a combinar previamente com a criança como será o passeio, o que contribui para evitar maus comportamentos. "Independente da idade, é preciso explicar quais programas serão feitos e deixar claro que aqueles que não se comportarem não participarão da próxima saída", recomenda.

Sarah salienta que é preciso cumprir a palavra, fazendo com que a criança fique ciente de que o 'castigo' é responsabilidade dela. "Se o adulto voltar atrás, o pequeno vai acreditar que sempre poderá agir daquela forma", ressalta.

Observar o comportamento de colegas dos filhos na escola também é uma maneira de se precaver. "Se perceber que existe uma criança que costuma agredir as outras frequentemente é preciso avisar os pais, caso tenha intimidade", sugere a especialista.

Caso os pais estejam presentes, antes de acioná-los é interessante conversar com o próprio pequeno. "Pergunte a ele o que houve e peça uma explicação. Caso o mau comportamento se repita, o ideal é que os pais dela intervenham", indica.

* Sob a supervisão da editora Ellen Alaver