Edição do dia
Ter, 02/01/2018 | Atualizado em: 02/01/2018 às 05h00

o que nos espera no ano novo?

AMANDA SOUZA*
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

Já é ano novo e os clubes começam a preparação para as competições de 2018. Com um calendário extenso, da pré-temporada, em janeiro, ao fim do Campeonato Brasileiro, em dezembro, Bahia e Vitória terão um ano e tanto pela frente.

A opinião das torcidas é a mesma: ganhar Campeonato Baiano e Copa do Nordeste é obrigação dos clubes. Outro desejo é avançar o máximo na Copa da Brasil, que é a competição nacional mais rentável do ano. O prêmio para o campeão é de mais de R$ 60 milhões e só a participação nas quartas de final garante R$ 4 milhões para o clube classificado.

O Rubro-Negro vai disputar quatro competições em 2018: os campeonatos Regional e Estadual, a Copa do Brasil e o Brasileirão. A grande expectativa do torcida é que o desempenho do Leão no Campeonato Brasileiro seja bem diferente do que foi apresentado nos dois últimos anos, em que o time ficou na luta contra o rebaixamento à Série B até a última rodada.

Do lado tricolor, as competições são as mesmas do rival e mais uma, a Copa Sul-Americana. O time fez uma boa apresentação no último ano e a briga pela Libertadores deixou um gosto de "quero mais" para a torcida. A expectativa é unânime: aproveitar a vantagem de entrar nas oitavas de final da Copa do Brasil para lutar pelo título e conseguir a sonhada vaga na Libertadores – que também pode ser alcançada com uma boa campanha no Brasileiro.

Além de títulos, a dupla Ba-Vi precisa buscar o fortalecimento do futebol baiano em escala nacional. A manifestação da torcida pede mais engajamento de diretoria, comissão técnica e atletas para que os clubes entrem forte em todas as competições que forem disputar. Larissa Nunes, torcedora do Leão, ressalta que o cenário precisa mudar. "A gente precisa mostrar a força do nosso futebol para o país. Chega de fazer campanha iô-iô; subir e brigar para não cair não pode ser a nossa realidade".

* Sob a supervisão do editor-interino Tiago Lemos