Edição do dia
Ter, 02/01/2018 | Atualizado em: 02/01/2018 às 05h00

Dani e o nosso eterno Pôr do Som

Yuri Silva
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

email@nononono.non

Dançarinos do Balé Folclórico da Bahia representando arquétipos dos orixás Obaluaê, Iemanjá e Iansã, passistas de escola de samba, participação do grupo de percussão soteropolitano Quabales e até baianas ganhadeiras quebrando ao som do tradicional samba de roda de Itapuã. Foi assim, com esse mix de signos da cultura popular baiana, que a rainha da axé music Daniela Mercury marcou o último dia do Festival Virada Salvador, promovido pela prefeitura da capital baiana para celebrar a passagem do ano.

Já era noite quando o show, historicamente feito no pôr do sol, começou. A apresentação contou com homenagens aos orixás, com canções de Dorival Caymmi, participações especiais e pela troca de figurinos, uma marca da cantora.

Com um collant em tons de rosa, ela entoou sucessos mais conhecidos da carreira – como 'Trio Metal' 'Rapunzel' e 'Elétrica' – e canções recentes do EP Tri Eletro, como 'Eletro Ben Dodô', 'Samba Presidente' e a aposta para o Carnaval 'Banzeiro'.

"Fico muito feliz em fazer esse show, que já se tornou tradicional, apesar de eu ser muito jovem. Não canso de celebrar nossas origens, e é isso que vamos fazer aqui para começar o ano com muito axé", afirmou a cantora.