Edição do dia
Ter, 19/12/2017 | Atualizado em: 19/12/2017 às 05h00

Barril Cartel atuou em obras do metrô

Da Redação
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

Uma das empresas investigadas na Lava Jato, a construtora Camargo Corrêa, revelou ao Conselho Administrativo de Defesa Economica (Cade) um megaesquema de cartel em obras de metrôs de sete estados e do Distrito Federal, que teria operado durante 16 anos no país, entre 1998 e 2014 .

Na Bahia, o grupo teria atuado nas obras do metrô de Salvador. As revelações constam do acordo de leniência assinado entre a empresa e o conselho no âmbito da Lava Jato.

A Camargo Corrêa apresentou ao Cade indícios ou comprovação de condutas anticompetitivas que ocorreram, entre 1998 a 2014, em obras de transporte de passageiros sobre trilhos nos estados da Bahia, Ceará, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e São Paulo, além do Distrito Federal.

O acordo, firmado no dia 5 deste mês, é relacionado exclusivamente à prática de cartel, para a qual o Cade (órgão antitruste do Governo Federal) possui competência de apuração.