Edição do dia
Qui, 14/12/2017 | Atualizado em: 14/12/2017 às 05h01

Não é frescura, viu?

Amanda Souza*
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

Todo mundo conhece alguém de pensamento acelerado, que tá sempre querendo se virar nos 30. Mas será que alguém já parou pra pensar no motivo desse comportamento? Essa pode ser uma característica de alguém com ansiedade, um quadro psicológico que, quando perde o equilíbrio, causa um verdadeiro rebuliço na vida do indivíduo.

Camila Freire, 19, conta como o estado de ansiedade sempre fez parte de sua vida até se tornar uma doença. "Sempre fui muito ansiosa, desde pequena. Mas senti que passou dos limites no 3º ano do ensino médio, quando comecei a me cobrar demais e ficar muito nervosa sempre que algo importante ia acontecer. Eu tinha ânsia de vômito e sentia que o coração ia sair pela boca", lembra.

De acordo com a psicóloga Márcia Brandão, "o distúrbio deve ser levado a sério e tratado com responsabilidade". O tratamento é feito através de acompanhamento com psicólogos e psiquiatras que irão diagnosticar qual o tipo de ansiedade o paciente possui e impedir que o transtorno atrapalhe a rotina e as relações de quem sofre com ele. Não é frescura!

* Sob a supervisão da editora Ellen Alaver