Edição do dia
Seg, 04/12/2017 | Atualizado em: 04/12/2017 às 05h00

Chape renasce e Coxa desaba

Estadão Conteúdo
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

Em um jogo especial e emocionante para a Chapecoense, o primeiro após o marco de um ano do trágico acidente aéreo na Colômbia que vitimou 71 pessoas, o time catarinense venceu de virada o Coritiba por 2 a 1, ontem, na Arena Condá, e encerrou o Brasileiro na oitava colocação, com 54 pontos.

Assim, no ano em que precisou se reconstruir após a tragédia, a Chapecoense assegurou a sua classificação à fase preliminar da Copa Libertadores. Há dez jogos sem perder, o time catarinense ainda fez a melhor campanha em sua história na Série A.

Contrastando com a comemoração da Chapecoense, houve muita tristeza do lado paranaense. Com sua terceira derrota seguida, o Coritiba foi rebaixado para a Série B. Depois de lutar nas últimas seis temporadas contra a degola, desta vez o Coritiba não conseguiu evitar o retorno à Série B. Antes, havia descido em 2005 e em 2009.

A emoção dominou o time da Chapecoense logo na chegada ao estádio, quando viram o túnel repleto de imagens do grupo que se acidentou na Colômbia. O técnico Gilson Kleina vestiu camisa com o nome do ex-técnico Caio Júnior, morto em Medellín. Na entrada em campo, alguns mascotes eram filhos de vítimas do acidente aéreo.