Edição do dia
Seg, 04/12/2017 | Atualizado em: 04/12/2017 às 05h00

Leão é Mais Chape do que nunca!

Tiago Lemos
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

A euforia de continuar na Série A com um gol marcado ainda na etapa inicial; o medo do rebaixamento após uma derrota de virada, confirmada no último lance da partida; e o alívio por um tento salvador que aconteceu em outro jogo da 38ª e última rodada do Brasileirão.

A mistura de sensações ocorrida na tarde de ontem, no Barradão, terminou da melhor maneira possível para o Vitória. Diante de cerca de 30 mil torcedores, o time comandado por Vagner Mancini perdeu para o Flamengo por 2 a 1, mas conquistou a sua permanência na elite graças a um triunfo da Chapecoense sobre o Coritiba, confirmado aos 50 minutos da etapa final.

Túlio de Melo foi o autor do gol do time catarinense, que rebaixou o Coxa à Série B. Se a partida terminasse empatada, o Coritiba terminaria a competição com 44 pontos, mas ficou com 43 – mesma pontuação do Leão. O desempate que livrou o Vitória da degola foi o saldo de gols: -8 a -9.

A mudança de resultado nos dois jogos aconteceu em poucos segundos, mas a saga do Leão no duelo com o Flamengo teve um início favorável, quando Carlos Eduardo colocou o Vitória em vantagem, aos 39 minutos do primeiro tempo.

Após rebote da defesa da equipe carioca, Yago pegou a bola no lado direito e tocou para o meia. Na grande área, Carlos Eduardo limpou o lance e bateu no canto esquerdo de César: 1 a 0.

Na etapa final, o jogo caminhava para o triunfo até os 29 minutos, quando Vinicius Junior ganhou de Caíque Sá pela esquerda e cruzou à área. Willian Arão tocou para trás e o zagueiro Rafael Vaz bateu travado. A bola foi morrer no canto direito de Fernando Miguel: 1 a 1

O empate era um pesadelo para o Vitória. Se saísse um gol favorável a Avaí (1 a 1 com o Santos) ou Coritiba (1 a 1 com a Chape), o Rubro-Negro baiano entraria no Z-4 – o Sport já vencia o Corinthians por 1 a 0 , resultado que se confirmou ao fim do jogo em Recife.

No último lance do duelo no Manoel Barradas, falta para o Flamengo. Diego cobrou, e Uillian Correia tirou com a mão: o árbitro marcou pênalti! O próprio Diego cobrou e garantiu o triunfo por 2 a 1, que classificou o Fla à Libertadores. Assim que entrou na zona de rebaixamento, o Vitória saiu de um filme de terror para vibrar de alegria: gol da Chapecoense sobre o Coxa! Tensão e alívio em poucos segundos. Salvação e confirmação para o terceiro ano consecutivo na principal competição do país.

O desespero até o final resumiu perfeitamente o que foi o Campeonato Brasileiro 2017 para o Vitória. Um time que passou a ser ousado fora de casa com a chegada de Vagner Mancini, mas não se deu bem em Salvador e terminou como pior mandante do campeonato, com apenas três vitórias e 14 pontos somados. No total, 16º lugar, com 43 pontos (37,7% de aproveitamento), oriundos de 11 triunfos, dez empates e 17 derrotas - 50 gols marcados e 58 sofridos.

Os erros que sobraram no ano ficam como lição para que a próxima diretoria faça o 2018 ser mais sossegado. "O Vitória tem que se reconstruir. O Vitória, funcionários, não merecem isso", disse o técnico Vagner Mancini após a partida.