Edição do dia
Seg, 04/12/2017 | Atualizado em: 04/12/2017 às 05h00

Cuidar dos pais é coisa para filhos!

Cleane lima*
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

O papel dos pais é cuidar dos filhos, mas chega um momento em que serão eles a precisar de atenção. Como saber a hora certa e de que forma agir para que tudo corra bem?

Segundo Christiane Machado Santana, geriatra do Hospital Santa Izabel, não há idade certa para que os filhos passem a dar mais assistência aos pais, o que determina isso é a condição do idoso. "Para alguns, esse cuidado pode ser necessário precocemente, enquanto para outros chega mais tarde. Depende das condições e dificuldades enfrentadas no dia a dia", explica a especialista.

Quando o idoso começar a mostrar sinais de que precisa de ajuda - seja emocional ou física -, esse será o momento certo para que os filhos entrem em ação. "Alguns sinais servem de alerta. De um modo geral, eles passam a apesentar dificuldade na mobilidade ou em aspectos relacionados à cognição", adverte a geriatra.

Andar inseguro, desequilíbrio, quedas com certa frequência e raciocínio limitado, que não permite a execução de tarefas simples e o coloca em risco merecem atenção.

Outra situação diz respeito à alimentação. "Quando o idoso mora só e tem de fazer sua própria comida corre o risco de sofrer diminuição do apetite ou se alimentar mal. Isso aumento o risco dele adoecer", completa Dra. Christiane.

Mas a forma de lidar com isso é importante. "É importante estimular a autonomia e nunca tratá-los como criança. Eles não podem se sentir um peso para o filhos", finaliza.

* Sob a supervisão da editora Ellen Alaver