Edição do dia
Sáb, 02/12/2017 | Atualizado em: 02/12/2017 às 05h00

A terrível notícia chegou pelo 'zap'

Da Redação
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

A família do promotor de vendas Marcelo Lago de Oliveira, 25 anos, soube que ele havia sido assassinado por meio de uma fotografia recebida pelo aplicativo WhatsApp. "A gente não sabe de nada. A gente estava trabalhando, quando recebeu uma foto dele e da namorada mortos em um matagal", afirmou um tio de Marcelo. "Foi um baque. Estamos sem chão", completou ele, que preferiu não ser identificado por medo de represália.

Marcelo e Tainá Brito Santana foram assassinados a tiros no início da tarde de quinta-feira (30) em um matagal na localidade conhecida como Pinicão, em Cajazeira II. O casal morava junto na região de Pau da Lima, conforme informaram parentes do promotor.

"Triste. A gente nunca espera acontecer uma coisa dessa na família", disse uma tia de Marcelo ontem pela manhã, quando foi liberar o corpo dele no Instituto Médico-Legal Nina Rodrigues (IMLNR). O corpo foi liberado para ser sepultado no Cemitério Quinta dos Lázaros, na Baixa de Quintas.