Edição do dia
Sex, 01/12/2017 | Atualizado em: 01/12/2017 às 05h00

Bárbaro Estudante espanca a avó até a morte

ANDREZZA MOURA
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

"Foi uma dupla tragédia, jamais imaginávamos que isso pudesse acontecer. Ele foi um menino bem-criado, está com problema psiquiátrico. Ela o amava incondicionalmente", lamentou a aposentada Mara Leal, 63 anos, ao falar sobre a trágica morte da vizinha, a idosa Lúcia Maria de Jesus, 65, assassinada ontem de manhã pelo neto, o estudante de nutrição Wesley Sousa de Jesus, 24.

A senhora morreu no Hospital Geral do Estado (HGE), na Vasco da Gama, após ser brutalmente espancada por Wesley, dentro da casa da família, no Setor D, no Caminho 11, em Cajazeira 8.

A violência das agressões foi tamanha, que o olho direito da idosa foi arrancado. No registro do posto da Polícia Civil do HGE consta que ela teve múltiplas lesões na face, no pescoço, nos braços, no crânio, no tórax e abdômen e morreu após sofrer uma parada cardíaca.

Wesley foi preso em flagrante por policiais militares da 3ª CIPM (Cajazeira) e encaminhado à 13ª Delegacia (Cajazeira). Em seguida, foi transferido ao

Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), na Pituba, onde foi autuado por feminicídio.

Segundo Mara, a avó do rapaz disse que, há alguns meses, ele vinha sofrendo de transtornos psicológicos e estava depressivo. "Ele está com problemas psiquiátricos, já estava ouvido vozes e vendo vultos. Só ficava chorando", lembrou ela.

Sem se identificar, uma vizinha afirmou que Wesley era usuário de drogas e estava transtornado, embora fosse um homem tido como tranquilo, muito calado e reservado.