Edição do dia
Sex, 01/12/2017 | Atualizado em: 01/12/2017 às 05h00

Executado Suspeito de roubos sobra após crimes

Euzeni Daltro
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

A notícia de que Everton Oliveira Santos, 24 anos, foi assassinado a tiros após praticar assaltos, na região do Largo dos Mares, pegou a família dele de surpresa. Isso porque o jovem trabalhava com o pai, que possui uma loja de equipamentos para celular e outras utilidades, em Fazenda Grande do Retiro.

Tanto o pai, quanto a irmã, uma prima e alguns amigos de Everton estiveram no local do assassinato, na Rua do Imperador, e afirmaram desconhecer o envolvimento dele com roubos.

"Vou dizer o quê? Não tenho o que falar. Falaram que ele estava envolvido com assalto. Ele dormiu na casa da namorada [na quarta-feira]", afirmou o pai, enquanto lágrimas corriam pelo seu rosto.

Populares disseram que Everton roubou clientes de dois estabelecimentos comerciais, naquela região, e foi morto por um policial civil durante a fuga. "Era ladrão! Era ladrão!", repetia um homem, ao passar próximo à faixa que isolava o corpo de Everton.

Conforme os relatos, o jovem era visto com frequência no Largo dos Mares, onde costumava praticar roubos – sempre bem vestido.

"A morte dele não teve nada a ver com a população. O povo não tocou nele. Ele assaltou os clientes de um clínica e a loja do Boticário com uma arma de brinquedo. Depois ele tentou fugir correndo. A população tentou pegar, mas não conseguiu. Um homem ainda jogou um coco nele, mas não pegou", disse uma mulher, sob anonimato.