Edição do dia
Sáb, 25/11/2017 | Atualizado em: 25/11/2017 às 05h00

Dez anos de sofrimento

Aurélio Lima
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

Sobrevivente da tragédia que matou sete pessoas na Fonte Nova, há dez anos, Jader Landerson Azevedo, 27 anos, decidiu vencer o medo de acompanhar uma partida da arquibancada do estádio. O

Fonte Nova foi implodida e, reconstruída. Passou a ser chamada de arena, sem deixar de provocar lembranças difíceis para ele.

Amanhã, ele vai ao estádio torcer pelo Bahia no jogo contra a Chapecoense. Jader contou estar superando o medo de acompanhar uma partida da arquibancada. O incômodo o acompanhava desde a tragédia, ocorrida em 25 de novembro de 2007, e trouxe várias cenas a sua mente na visita ao estádio na quarta-feira.

"Naquele dia do jogo, a gente comprou os ingressos, depois vendeu, comprou de novo, vendeu e depois comprou. Parecia que algo estava dizendo que não era para ir", recordou. Ele foi ao estádio os amigos, Jadson Celestino Araújo Silva e Joselito Lima Jr.

Ambos perderam a vida na tragédia que, além de ferir 30 pessoas ,vitimou Márcia Santos Cruz, Milena Vasquez Palmeira, Djalma Lima Santos, Anísio Marques Neto e Nidia Andrade Santos. Mesmo feridos gravemente, Jader Landerson, Denis de Jesus e Patrícia Vasquez Palmeira se salvaram.

"Eu cai em uma lança no anel do meio e a minha perna direita ficou presa. Acho que isso salvou minha vida", relembrou Jader.

Ele retornou ao estádio após dez anos para acompanhar Bahia 2x2 Atlético-MG, no dia 12 deste mês. "Eu não quis ficar no mesmo lugar. Preferi o setor norte, em frente ao local do acidente", revelou Jader, que vai ser pai. A previsão é que a sua mulher, Maira Campos, 24 anos, dê à luz ao bebê Zaion até o dia 22 de dezembro. "Zaion vai ser Bahia também", afirmou.

Da época da tragédia até agora, o rapaz engordou 28 kg, tendo chegado a 98 kg. O peso agrava os problemas deixados pelas sequelas da queda. Jader lesionou três vértebras e perdeu tecido da perna direita. "Não tenho condições de trabalhar. Ficar muito tempo em pé, a minha coluna dói. Se ficar um dia todo andando, no outro dia a perna fica doendo muito", explicou.