Edição do dia
Ter, 14/11/2017 | Atualizado em: 14/11/2017 às 05h00

De reserva a solução do Rubro-Negro

José Cairo*
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

Às vezes a chance cai do céu diretamente nas nossas mãos. No futebol, as incertezas fazem com que as oportunidades precisem ser aproveitadas de maneira obrigatória, pois elas podem não vir mais. Quando as chances de sair do banco de reservas surgem, é preciso não dar brecha para os rivais da mesma posição.

Assim, agarrando a oportunidade, está o lateral direito Patric, do Vitória, que começou o ano como titular, perdeu a posição para Caíque Sá, mas que recuperou o posto entre os 11 após a contusão do companheiro. Desde então, ele vem desempenhado um papel ofensivo importante.

As últimas três partidas foram a prova disso. O jogador de 28 anos voltou aos 11 iniciais contra o Vasco, e foi o responsável pelo cruzamento para André Lima marcar o tento de empate. O time somou um ponto importante na ocasião. Contra o Palmeiras, atuou outra vez bem no triunfo por 3 a 1. Mais três na conta.

No último domingo, contra o Grêmio, voltou a marcar pelo time após oito meses – a última vez havia sido diante do Vasco, na 3ª fase da Copa do Brasil. Esse, aliás, foi o primeiro gol de um lateral do Rubro-Negro no Brasileirão. De quebra, garantiu o empate que fez com que o Vitória abrisse três pontos de vantagem para o Z-4.

"Sempre me dediquei todos os dias, treinando, tentando me aperfeiçoar, diminuir os erros. A gente sabe que o Campeonato é longo e que a oportunidade viria. Muito bom poder voltar", diz.

Até o momento, Patric deu quatro assistências na competição. Só está atrás de Neilton e David, ambos com seis. "Eu sempre fui de fazer gols e dar assistência. Estou muito feliz com a fase. O momento reflete um time que cresceu e amadureceu na competição".

Sob a supervisão do editor Daniel Dórea