Edição do dia
Qui, 09/11/2017 | Atualizado em: 09/11/2017 às 05h00

William tá com muita moral, pai!

Estadão Conteúdo
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

O técnico Tite definiu ontem quem será o capitão da Seleção Brasileira no amistoso diante do Japão, amanhã, em Lille, na França. Dando continuidade ao rodízio que promove desde que assumiu o cargo, o comandante elegeu o meia Willian para usar a braçadeira durante a partida.

Com isso, o jogador do Chelsea será o 14º nome diferente a ser capitão sob o comando de Tite. Antes dele, usaram a braçadeira: Dani Alves, Miranda, Thiago Silva, Marquinhos, Marcelo, Filipe Luís, Fernandinho, Paulinho, Renato Augusto, Casemiro, Philippe Coutinho, Neymar, além de Robinho, no amistoso contra a Colômbia que teve só atletas do futebol nacional.

Em 15 partidas sob o comando de Tite, a seleção teve 13 capitães. O zagueiro Miranda e o lateral Daniel usaram a braçadeira duas vezes e foram os únicos que repetiram a honraria.

Willian foi o jogador que mais vezes representou a Seleção desde a Copa de 2014 e será premiado por isso. O curioso, porém, é que o jogador é uma espécie de 12º titular com Tite e só começará em campo amanhã porque Coutinho está lesionado.