Edição do dia
Qua, 08/11/2017 | Atualizado em: 08/11/2017 às 05h01

PM negou ter estuprado adolescente

ANDREZZA MOURA
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

O policial militar e ex-motorista do aplicativo Uber Agnaldo Alves, suspeito de estuprar uma adolescente de 17 anos, durante uma viagem, no dia 25 de outubro último, deve se apresentar à polícia na próxima sexta-feira (10), segundo o advogado Davi Esmeraldo.

Contudo, a delegada Janice Dórea Mutti, da Delegacia Especializada de Repressão a Crime Contra a Criança e o Adolescente (Derca), revelou que o PM será ouvido no sábado (18), no plantão da delegada Meire Ângela Gama, responsável pelo inquérito.

Ontem à tarde, Esmeraldo esteve na Derca e, em conversa com a reportagem, disse que seu cliente negou o crime e se colocou à disposição para realizar qualquer tipo de exame que comprove sua inocência.

Conforme o defensor, no dia e horário do fato, o PM realmente realizou uma viagem, através do aplicativo Uber para a adolescente. Mas revelou que o roteiro contratado foi do Novo Horizonte até a Av. Ulisses Guimarães, em Sussuarana Nova, e não de Sussuarana para Plataforma, no Subúrbio Ferroviário, como informou a adolescente, em depoimento.